Quando lidamos com a saúde das pessoas, todo cuidado é pouco. Ao falarmos do atendimento da população em grandes instituições, onde ocorrem dezenas ou até centenas de atividades ao mesmo tempo, como o uso de medicamentos e a realização de procedimentos, as formas de controle precisam ser as mais eficientes possíveis. Nesse sentido, contar com etiquetas para hospitais públicos é algo fundamental.

As etiquetas são importantes para organizar e manter correto o trabalho dos profissionais que atuam em clínicas e hospitais, evitando a perda dos dados e outras complicações. Para tanto, essas instituições precisam contar com impressões que garantam a qualidade das etiquetas, independentemente das condições em que elas forem usadas.

Para ajudá-lo, separamos alguns cuidados necessários na produção desse tipo de identificação a fim de assegurar que as etiquetas para hospitais públicos cumpram seu papel de maneira satisfatória. E para fechar com chave de ouro, ainda daremos uma dica de como aliar todos esses cuidados em um só lugar. Siga com a gente e confira!

4 cuidados na produção de etiquetas para hospitais públicos

Confira os cuidados imprescindíveis na produção de etiquetas para hospitais públicos que podem fazer uma grande diferença no atendimento à população:

1 – Garanta a qualidade das impressões

O ambiente hospitalar atende demandas que exigem cuidados específicos e não podem ser passíveis de erros. Por isso, é fundamental que tudo esteja bem identificado e que etiquetas e registros mantenham sua integridade. Requisitar o uso de equipamentos e insumos de primeira qualidade, neste caso, é uma necessidade, pois como já falamos, clínicas e hospitais lidam com vidas e um erro pode ser fatal.

Se a impressão das etiquetas para hospitais públicos não tem a qualidade necessária, os dados impressos podem se desfazer e, consequentemente, perder a legibilidade ao serem armazenados em baixas temperaturas e em ambientes úmidos ou mesmo nos processos de limpeza e esterilização. Isso acontece, geralmente, por causa da baixa qualidade da tinta e do papel ou questões técnicas, como falta de manutenção do equipamento.

2 – Gerencie os custos de impressão

A boa qualidade de uma impressão, muitas vezes, não está ligada somente ao tipo de equipamento ou insumo. Os custos envolvidos na operação também têm relação direta com a qualidade. Comprar, manter e gerenciar toda a cadeia de impressões em hospitais e clínicas públicas pode exigir um investimento altíssimo, pois ela é responsável por atender a maioria da população.

Manter um parque de impressões nesses locais demanda uma equipe de profissionais treinados, maquinários modernos, softwares confiáveis e um espaço físico específico. Por isso, se não houver um gerenciamento rigoroso sobre todos os custos que compõem a impressão das etiquetas, podem começar a surgir desperdícios, como excesso de impressões erradas, falta de controle dos gerentes, uso indevido das impressoras (geralmente para impressões pessoais), entre outros.

Demandas como essas consomem os recursos financeiros que deveriam ser aplicados na aquisição de melhores insumos, na manutenção dos equipamentos e no treinamento do pessoal. Então, o melhor é manter a gestão dos custos de impressão sob controle.

3 – Mantenha a segurança das informações e dos pacientes

A segurança das informações em hospitais e clínicas públicas é uma preocupação constante, tanto dos pacientes quanto dos funcionários e do próprio estabelecimento ― compra e recebimento de remédios, procedimentos, entre outros. Em relação aos usuários dos serviços, a situação ganhou ainda mais relevância após a LGPD, que entrou em vigor em setembro de 2020 e impôs novas regras para o tratamento de dados pessoais, como coleta, armazenamento, alteração, transferência e exclusão.

Juntando isso à confidencialidade médico-paciente, que já é uma regra estabelecida nos atendimentos de saúde, tem-se a necessidade de usar sistemas que garantam a impressão de etiquetas que tenham somente as informações extremamente necessárias expostas. Ou, em alguns casos, de serem preservadas por meio do uso de código de barras ou QR Codes, por exemplo.

Tirando a questão das informações de cunho sigiloso, ao fornecer etiquetas de qualidade e manter tudo devidamente monitorado, hospitais e clínicas asseguram que o paciente correto recebe os cuidados e medicamentos adequados, sem que haja confusão e erros. Isso garante a segurança hospitalar de todos.

4 – Aposte em tecnologias de rastreabilidade

Por meio da tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID), disponibilizada por alguns fornecedores de outsourcing de impressão, é possível identificar produtos etiquetados e rastrear insumos, materiais e itens diversos. Dessa forma, fica muito mais fácil controlar estoques, compras e armazenamentos, além de possibilitar a redução de custos para a saúde pública como um todo.

Esse tipo de tecnologia ainda permite, por conter sensores que enviam e recebem dados, a automatização de rotinas. Isso previne a perda de instrumentos e melhora a organização interna, pois possibilita identificar quando ocorreram as esterilizações, onde os itens foram utilizados e qual sua origem.

A tecnologia RFID também pode ser aplicada às etiquetas de mães e bebês na maternidade, gerando segurança extrema, assim como no rastreamento dos medicamentos da farmácia, que podem ser controlados desde que dão entrada no estoque até a aplicação. Enfim, aliado à impressão de qualidade, esse tipo de recurso pode ser muito útil aos hospitais e clínicas públicas.

Dica de ouro: conte com as soluções de impressão da Almaq

Como vimos até aqui, as etiquetas para hospitais públicos são muito importantes para informar, controlar e rastrear medicamentos, exames e auxiliar corretamente no tratamento de pacientes, evitando, assim, qualquer problema. E para que as informações sejam corretas, é importante contar com impressões de alta qualidade, certo?

Com fabricação própria, a Almaq disponibiliza etiquetas de identificação e insumos para impressão que suportam a armazenagem em baixas temperaturas e com alta umidade sem comprometer a leitura das descrições. Com as nossas soluções, a qualidade da saúde pública está garantida!

E tem mais! Com a terceirização, todos os equipamentos, materiais e manutenção ficam sob nossa responsabilidade, sem custos extras para os cofres públicos com sistemas, scanners ou qualquer outro tipo de material ou insumo mais completo que envolva a impressão de etiquetas para hospitais públicos. Entre em contato e saiba mais sobre as nossas soluções!